EMHA recebe prêmio nacional por projeto que regulariza moradia de 300 familías

Mediante a regularização fundiária das moradias do Jardim Futurista, foi possível a valorização da região urbana

A Agência Municipal de Habitação  (Emha) recebeu na manhã desta quinta-feira (22) prêmio nacional da Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos da Habitação (ABC) durante o 65º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social, que teve início na segunda-feira (20) em Salvador/BA.

O trabalho premiado da agência visa atender famílias em situação de insegurança jurídica, insalubridade e vulnerabilidade social e ambiental. Elas estão sendo atendidas pelo corpo técnico da Emha a fim de reverter o quadro de ocupações impróprias, que prejudicam o desenvolvimento planejado e ordenado da cidade.

No caso do Loteamento Vila Futurista parcelamento criado em 1962, no Bairro Veraneio, totalmente particular, estava desocupado pelos proprietários até meados dos anos 90. Em 1998, uma ocupação maciça tomou conta de quase todo o local, de forma rápida e ordeira. Famílias de baixa renda se instalaram no parcelamento desocupado por apresentar rede de abastecimento de água, energia elétrica e escolas públicas no entorno.

Sendo assim, logo as problemáticas de insalubridade e a erosão acentuada do terreno arenoso acarretaram em uma realidade difícil aos moradores. A Prefeitura de Campo Grande reconheceu a carência e a necessidade de atendimento às 319 famílias, firmando, assim, uma mobilização para ampará-los com a finalidade de erradicar as ocupações irregulares.

Desenvolvimento sustentável

Mediante a regularização fundiária das moradias do Jardim Futurista, foi possível a valorização da região urbana, aumento de polos de serviços, comércio e vagas de emprego no entorno. Para o diretor-presidente da EMHA, Enéas Netto, esse desenvolvimento se dá em diversos âmbitos, sobretudo quanto à dignidade dessa população atendida.

“Percebemos uma mudança significativa no perfil do morador, que agora passa a ter um local fixo de residência. Dessa maneira, o cidadão é capaz de manter um emprego estável, construir uma família, promover melhorias em sua moradia, além de se tornar um contribuinte do município, pertencente, de fato e de direito, à malha urbana”, enfatizou. O reconhecimento dessa ação logo veio através do prêmio nacional.

“Por se tratar de um parcelamento com mais de 50 anos, sendo grande parte desde tempo composto por ocupações irregulares, nosso trabalho no Bairro Jardim Futurista foi reconhecido nacionalmente em decorrência do impacto positivo nesta região e, por consequência, em todo o município. Agradeço, em nome dos diretores da EMHA, aos servidores pelo empenho e dedicação, fundamentais no trabalho de resgate da qualidade de vida dessas famílias”, complementou o diretor-presidente.

Márcio Sakai, diretor de Regularização Fundiária, destacou o sentimento de dever cumprido. “Contabilizamos a entrega, até o momento, de 90% dos contratos de compra dos lotes do Futurista – um marco da administração da cidade. Incluir esses moradores no mapa urbano de Campo Grande inaugura novos patamares no desenvolvimento social da cidade. O prêmio da ABC corrobora o quanto essa ação é importante para nós”, finalizou.